O espiral de dívida e a manipulação da liquidez

Dentre todas as forças que impactam a precificação do bitcoin, a liquidez dos mercados está no topo delas. Então, por que não entendê-la?

O espiral de dívida e a manipulação da liquidez

Introdução

Aqui no BlockTrends Research já trouxemos algumas vezes a importância de compreender a situação da liquidez e oferta monetária global, principalmente pelo fato do bitcoin ser altamente influenciado por estas alterações.

Neste momento, podemos estar chegando a um ponto de virada – ou ponto de maior estresse dentro do ciclo – com base na atual conjuntura monetária.

Para entendermos o ciclo de mercado do bitcoin precisamos entender para onde o dinheiro do planeta está fluindo, como ele é negociado e principalmente: quanto dele existe.

Estas informações são amplamente distribuídas, entretanto, fracamente compreendidas. Mesmo sendo essencial para cada investidor, analista ou entusiasta de bitcoin e economia.

Com a elevação do teto da dívida norte-americana, a situação de liquidez do dólar, sendo a principal moeda corrente hoje, passará por alterações nos próximos 6 a 12 meses. Dessa forma, é importante que compreendamos o que isto significa e como pode impactar a precificação do bitcoin.

Neste artigo focaremos em macroeconomia, compreendendo a atual situação da dívida pública dos Estados Unidos e como a Liquidez pode ser alterada nos próximos meses.

Dívida Pública: A maior bolha de todas

A saúde financeira de um país é essencial para a sua estabilidade econômica e a prosperidade de seus cidadãos. No entanto, os Estados Unidos estão em uma posição fiscal precária que ameaça o status do país como uma potência econômica global.

A situação financeira de um governo, em última análise, segue as mesmas regras contábeis básicas que qualquer orçamento pessoal. Existem duas partes fundamentais: receitas (dinheiro entrando) e despesas (dinheiro saindo).

Quando as receitas excedem as despesas, um indivíduo tem "poupança", enquanto um governo tem um "superávit". No entanto, quando as despesas excedem as receitas, um indivíduo tem um problema, e um governo tem um "déficit".

Nos últimos anos, os Estados Unidos normalizaram déficits orçamentários anuais multitrilionários. Estes déficits não desaparecem e, na verdade, aumentam a dívida nacional dos Estados Unidos.

No último ano, o déficit orçamental do governo ultrapassou os US$1.38 trilhão, tendo arrecado "apenas" US$4.9 trilhões frente a um gasto total de US$6.27 para sustentação do aparato governamental.

Dessa forma, como há menos capital que o necessário para sustentar as funções públicas, o governo possui duas alternativas obter o que ainda falta: emite dívida ou cria dinheiro.

A emissão de dívida é uma das formas de retirar dinheiro dos mercados/economia e colocá-los do cofre do tesouro, pagando uma taxa de juros por este empréstimo. Estes são os títulos de dívida do tesouro.

A dívida nacional dos EUA começou a crescer exponencialmente após 1971, quando o dólar americano deixou de ser lastreado em ouro, permitindo que o governo gerasse dólares sem lastro para cobrir seus gastos.

Este acúmulo de dívida leva a uma espiral de dívida perigosa, uma vez que a posição financeira de um país se deteriora, as pessoas e os países começam a vê-los como devedores de maior risco, aumentando as taxas de juros e, consequentemente, os gastos com juros.

🧠
A situação nos EUA é tão séria que a relação dívida/PIB chegou a atingir 129%, um nível que, historicamente, quase sempre resulta em um default da dívida.

A Criação de Dinheiro

Como falamos acima, a opção alternativa a emissão de dívida é a criação de dinheiro. Entretanto, este não é um processo simples, pois sempre que dívida é emitida a liquidez no sistema financeiro reduz.

Isso ocorre pelo fato de investidores pegarem seu capital e compram os títulos do tesouro, a famosa renda fixa, com o intuito de receber os juros por este empréstimo. Portanto, este capital que outrora poderia ser aplicado em outros investimentos como ações, bitcoin ou imóveis, agora está no cofre do tesouro.

Na contramão desta ação está a emissão de moeda, seja mediante expansão do balanço de ativos ou recompra de títulos públicos. Em ambos os casos, a criação de dinheiro ocorre por meio de uma "troca" que o governo faz entre ativos financeiros, no primeiro caso, ou de comprar novamente os títulos dos investidores no mercado.

Em ambos os casos, a criação de dinheiro hoje ocorre pelo Banco Central comprando ativos através de dinheiro recém criado. Assim, estes ativos são pagos não com um bem monetário real, mas sim um valor digital criado "do nada".

Cada nova unidade monetária se torna, portanto, um passivo no balanço geral do Banco Central. Neste momento, a quantidade de dólares em circulação medida pelo agregado M2 está em US$26.673 trilhões. Em 2023, teve o maior processo de contração monetária da história, como podem ver através da variação mensal.

Ambos estes processos citados acima impactam diretamente a precificação de ativos, por consequência, acabam impactando todos os indicadores de atividade econômica, assim como de inflação e desemprego.

Para manipular isso, o Banco Central utiliza diversas ferramentas, vamos entender algumas delas a seguir.

Manipulação da Liquidez

O balanço do Fed é composto por ativos, como títulos do Tesouro dos EUA e títulos hipotecários lastreados, que são adquiridos dos bancos membros, criando assim liquidez no sistema financeiro.

Em contrapartida, as operações de recompra reversa (RRP) e a conta do Tesouro (TGA) tendem a remover liquidez do sistema. A RRP permite que contrapartes elegíveis depositem USD no Fed e ganhem uma taxa de retorno, enquanto a TGA é a conta-corrente do Tesouro dos EUA.

Quando a TGA diminui, significa que o Tesouro dos EUA está injetando dinheiro diretamente na economia, estimulando a atividade econômica.

🧠
As condições de liquidez do dólar são determinadas pela interação desses três componentes e sua direção. Em termos muito básicos, a liquidez do USD aumenta quando o balanço do Fed aumenta, os saldos da RRP diminuem e a TGA diminui. A liquidez do USD diminui quando acontece o inverso.

Em junho de 2022, o Fed iniciou um aperto quantitativo (QT), o que significa que decidiu deixar o tamanho do seu balanço diminuir visando combater a inflação. No entanto, essa diminuição no tamanho do balanço do Fed foi compensada por diminuições nos saldos da RRP e da TGA, o que causou um aumento na liquidez.

Por este motivo, a liquidez do dólar esteve subindo a partir do final do passado, assim com o preço dos ativos.

As condições de liquidez do USD têm um impacto significativo no preço do Bitcoin. Podemos até afirmar que o BTC é um índice futuro de liquidez, pois ele costuma reagir antecipadamente.

Por isso, podemos entender que a estrutura de liquidez atual dos ativos impacta diretamente na precificação de ativos. Podemos plotar este fenômeno diretamente no gráfico acima.

💡
Os momentos onde o Índice de Condições de Liquidez esteve subindo, condiz com os períodos de alta do bitcoin e ações. Assim como, os períodos de redução agiram de forma oposta nos preços.

Bitcoin e Liquidez

Já trouxemos esta visão em outros relatórios do BlockTrends Research, assim como o gráfico mais importante para a compreensão do ciclo do bitcoin em relação ao ciclo monetário global.

O Índice de Liquidez Global é um indicador que rastreia a liquidez ao qual falamos nos tópicos anteriores, mas agregando o balanço de ativos dos maiores bancos centrais do planeta: Estados Unidos, China, Japão, Reino Unido e União Europeia.

No índice, vemos que os momentos de crescimento anual do bitcoin condizem exatamente com períodos de crescimento da liquidez global.

Podemos perceber que o processo de redução de liquidez realizado em 2022 pelos bancos centrais foi o maior que o bitcoin já presenciou, entretanto, atingiu um fundo em setembro.

Pouco depois, o bitcoin também atingiu o fundo em novembro, respondendo com um pouco de atraso. Desde então, a liquidez tem se recuperado, mas permanece negativa na variação anual.

A grande sinalização de virada de chave virá quando o Índice de Liquidez Global atingir uma variação anual positiva novamente, possivelmente indicando que o ciclo de expansão começou.

Agora vamos dar um zoom neste gráfico:

Como vemos, o bitcoin já retornou a uma variação anual positiva, pois em junho de 2022 ele estava abaixo do valor atual. Enquanto isso, a liquidez global continua recuperando a queda do ano passado.

Podemos afirmar que estamos muito próximos de um ponto de virada, mas ainda não tivemos essa sinalização da variação anual da liquidez. Embora, isto ocorre geralmente com atraso, pois estamos observando um valor anual.

O Estado da Liquidez Atual

Muitos investidores devem estar se perguntando porque o bitcoin ainda não conseguiu recuperar completamento, ou por qual motivo ele permanece lateralizado com pouca força.

💡
A resposta é: A estrutura de liquidez atual ainda não é favorável.

Do final do ano passado até o início do ano tivemos um processo de expansão do balanço de ativos dos bancos centrais da China e do Japão, o que impulsionou a liquidez vindo da Ásia.

Entretanto, nos últimos meses temos visto novamente redução destes balanços de ativos. Como vimos num tópico acima, queda no balanço significa menos liquidez.

É expectável que com o aumento do teto da dívida norte-americana, cerca de US$1 trilhão seja emitido em títulos do tesouro ainda este ano, algo que reduzirá mais ainda a liquidez do sistema financeiro.

Esta redução pode ocorrer dentro dos próximos 6 meses, por conta disso é possível que ativos como o bitcoin acabem sendo punidos e tenham dificuldades de atingir altos preços.

Só que isto não irá durar por muito tempo, o governo dos Estados Unidos se verá em meio a pressões de uma desaceleração econômica mais intensa: recessão. Algo que poderá ocorrer ao final deste ano.

Essa recessão irá pressionar o banco central a retornar os estímulos, cortando taxas de juros e expandindo o balanço de ativos, que como já aprendemos acima significa: liquidez!

Esteja preparado para mais alguns meses de turbulência, período de acumulação silenciosa e paciência. Depois dos próximos 12 meses teremos um processo de expansão de liquidez intensa, isto tornará o bitcoin mais escasso e valioso do que é hoje.

Saiba aproveitar as oportunidades e #HODL.


As previsões ou afirmações feitas neste relatório não fazem quaisquer garantias, representações ou endossos expressos ou implícitos de decisões de investimentos tomadas pelo leitor. Eventos passados não são garantias de acontecimentos futuros e o leitor deve ser o único responsável pelas suas próprias decisões de investimentos. O BlockTrends não poderá se responsabilizar por quaisquer perdas ou prejuízos decorrentes das decisões de investimento tomada com base na informação apresentada no BlockTrends Research. Todo o material apresentado é de cunho educativo e informativo e e não representam recomendações expressas de compra, venda ou qualquer negociação em bitcoin ou outro criptoativo. Ao utilizar este relatório o leitor reconhece as isenções de responsabilidade citadas acima.

Veja os comentários

Assine o BlockTrends | Research para poder visualizar e comentar.

Inscreva-se já