Retrospectiva on-chain 2023: O ano da entrada institucional no Bitcoin

Após anos de negação e ataque, os investidores institucionais do mercado tradicional finalmente acordaram para o Bitcoin.

Retrospectiva on-chain 2023: O ano da entrada institucional no Bitcoin

Introdução

O ano de 2023 marcou um período de sucesso notável para o Bitcoin e o mercado de criptomoedas, contrastando significativamente com o cenário desafiador enfrentado em 2022.

Este ano foi marcado por desenvolvimentos promissores, como o advento dos NFTs (Non-Fungible Tokens) na rede Bitcoin e a potencial aprovação de ETFs (Exchange-Traded Funds) de Bitcoin à vista. Essas inovações, entre outros fatores, contribuíram para um impressionante aumento de mais de 160% no valor do Bitcoin.

As nossas previsões feitas em 2022, que indicavam um desempenho superior do Bitcoin em comparação com outros ativos tradicionais, provaram ser acuradas.

O Bitcoin se destacou mais uma vez como o investimento de melhor desempenho, superando alternativas tradicionais do mercado financeiro.

Além disso, o Bitcoin experimentou a menor volatilidade anual de sua história, refletindo um aumento na liquidez do mercado e sugerindo uma maturação na forma como o Bitcoin está sendo precificado.

Este crescimento excepcional em 2023 pode ser atribuído a uma série de fatores, mas o princípio fundamental da oferta e demanda permanece como um dos pilares centrais influenciando a precificação do Bitcoin.

À medida que nos aproximamos do limite da emissão de novos BTCs, a natureza intrinsecamente escassa do Bitcoin continua a atrair a atenção dos investidores. Isso é evidenciado pela crescente quantidade de endereços que possuem mais de 1 BTC em reservas, sinalizando um interesse contínuo e crescente no ativo.

O Bitcoin, portanto, continua a expandir sua presença e a atrair novos investidores para o mercado. Compreender esta dinâmica exige uma análise aprofundada e o acesso a informações e dados relevantes.

Neste relatório de retrospectiva, abordaremos as várias facetas do mercado em 2023 e apresentaremos nossas expectativas e análises para 2024. Este panorama oferece insights valiosos não apenas para os atuais participantes do mercado, mas também para aqueles que estão considerando entrar neste espaço dinâmico e em constante evolução.

Vamos lá!

Atividade on-chain se recupera e sinaliza crescente otimismo e utilização da rede

No ano de 2023, a rede Bitcoin experimentou uma notável recuperação em sua atividade on-chain, revertendo o declínio marcante observado no ano anterior. Esta tendência reflete uma correlação direta com o sentimento do mercado: tipicamente, há um aumento na atividade on-chain durante períodos de alta nos preços (bull markets) e uma redução em cenários de baixa (bear markets).

Uma métrica chave que ilustra essa recuperação é a adição diária de novos endereços na rede. Em média, aproximadamente 465 mil novos endereços foram adicionados diariamente ao longo do ano.

Esta taxa é equivalente à observada em 2021, um período caracterizado por um mercado em alta. Este paralelo sugere um ressurgimento significativo no interesse e na adoção do Bitcoin, relembrando a efervescência do mercado de 2021.

Além disso, a quantidade de transações processadas na rede Bitcoin também viu um aumento substancial em 2023. Em dezembro deste ano, a média mensal de transações atingiu cerca de 557 mil. Este incremento quantitativo nas transações indica uma maior utilização da rede, reforçando a percepção de um reaquecimento do mercado.

No entanto, uma análise mais aprofundada revela um padrão interessante: apesar do aumento no número de transações, o volume de capital movimentado não acompanhou essa tendência de alta.

A observação do valor médio movimentado nas transações revela que este permaneceu consideravelmente inferior aos níveis registrados em 2021. Isso sugere que, em 2023, houve uma predominância de transações de menor valor, criando uma aparente contradição entre o volume de transações e o capital movimentado.

Uma explicação plausível para este fenômeno é a introdução do protocolo Ordinals na rede Bitcoin. Este protocolo representa uma inovação significativa, cujos detalhes serão explorados mais adiante. A implementação do Ordinals pode ter influenciado as dinâmicas de transação na rede, contribuindo para o aumento de transações de menor valor e afetando, consequentemente, o perfil geral da atividade on-chain em 2023.

Em 2023, a rede Bitcoin registrou um total aproximado de US$ 3.10 trilhões em movimentações de capital, um dado que merece ser analisado sob múltiplas perspectivas. Este valor, embora represente um incremento em relação aos anos anteriores a 2020, não atinge os patamares observados nos anos de 2021 e 2022.

Esses dois últimos anos foram particularmente notáveis no ecossistema do Bitcoin, com 2022 estabelecendo um recorde histórico em termos de volume de capital, atingindo a marca impressionante de mais de US$ 15.26 trilhões movimentados.

A chegada dos Ordinals aumentou a demanda por espaço de bloco, mas encareceu transações

No início de 2023, o ecossistema Bitcoin testemunhou um avanço significativo com a implementação do protocolo Ordinals. Esta inovação tecnológica, originalmente concebida como um experimento, viabilizou a criação de Non-Fungible Tokens (NFTs) e tokens fungíveis diretamente na blockchain do Bitcoin. O desenvolvimento, capturando rapidamente a atenção da comunidade e dos entusiastas de criptoativos, marcou um ponto de inflexão na funcionalidade e na aplicabilidade da rede Bitcoin.

Até o presente momento, a rede Bitcoin já registrou mais de 50 milhões de inscrições utilizando o protocolo Ordinals. Estas inscrições têm contribuído significativamente para a economia da rede, gerando mais de 201 milhões de dólares em taxas de transação. Este aumento nas taxas tem beneficiado diretamente os mineradores da rede Bitcoin, um aspecto que merece uma análise detalhada e será discutido posteriormente.

A introdução do protocolo Ordinals induziu mudanças substanciais na dinâmica da rede Bitcoin, particularmente no que se refere à demanda por espaço nos blocos.

Anteriormente, era comum observar uma quantidade considerável de espaço não utilizado nos blocos. No entanto, essa "sobra" começou a ser preenchida rapidamente com transações ordinais. A partir de março, a rede Bitcoin começou a experimentar um aumento no tamanho das transações pendentes na mempool, aguardando confirmação.

Essa transformação implica que a dinâmica do espaço de bloco na rede Bitcoin sofreu uma alteração significativa. Atualmente, há sempre uma parcela do espaço de bloco sendo ocupada por transações ordinais.

Consequentemente, as transações monetárias tradicionais agora enfrentam uma espécie de "competição" por espaço com transações envolvendo tokens BRC20 ou NFTs. Este cenário altera a estrutura e o funcionamento da rede, introduzindo novos desafios e oportunidades tanto para usuários quanto para mineradores.

Um ano de recuperação na rentabilidade de mineradores e de congestão na rede

O protocolo Ordinals, implementado na rede Bitcoin, teve implicações significativas, especialmente no que diz respeito à receita de mineração e às taxas de transações. Em 2023, os mineradores da rede Bitcoin testemunharam uma recuperação notável nas suas receitas, revertendo a tendência de queda observada em 2022.

Naquele ano, a receita de mineração atingiu um ponto baixo de US$9.6 milhões em dezembro. Em contraste, em dezembro de 2023, a receita de mineração alcançou uma alta expressiva de US$63.8 milhões, marcando um aumento significativo na rentabilidade das operações de mineração.

Os principais fatores que impulsionaram esta melhoria na rentabilidade foram o aumento no preço do Bitcoin e a crescente parcela da receita proveniente de taxas de transação.

Em dezembro de 2023, observou-se que a receita de mineração oriunda de taxas compreendia 36% do total da rentabilidade, uma indicação clara de que o aumento do custo de mineração teve um impacto substancial nas receitas.

De fato, em 16 de dezembro de 2023, a rede Bitcoin registrou o valor mais alto de taxas de transações totais pagas em um único dia, totalizando aproximadamente US$ 23.6 milhões, um montante que foi diretamente para os mineradores.

Esse aumento na coleta de taxas, embora benéfico para os mineradores, teve repercussões negativas para os usuários comuns da rede. A taxa média de transação on-chain disparou, atingindo US$ 37. Esse valor é o mais alto desde abril de 2021, um período marcado por um mercado altamente especulativo durante o último bull market.

Esse cenário ressalta a complexa dinâmica entre a lucratividade da mineração e a acessibilidade da rede para os usuários comuns, evidenciando um equilíbrio delicado entre os custos operacionais dos mineradores e a experiência dos usuários na rede Bitcoin.

Entretanto, a dinâmica de demanda por espaço de bloco revelou que agora a fila de transações de Bitcoin está sempre preenchida com usuários que desejam pagar para transacionar, mesmo que não sejam transações monetárias.

Essa mudança de paradigma poderá afetar no interesse por mineração de Bitcoin, uma vez que irá fazer com que a lucratividade proveniente de taxas continue aumentando.

Em 2023, a taxa de poder computacional da rede Bitcoin (Hash Rate) teve breves momentos de redução, mas no geral continuou subindo exponencialmente. Isto aponta a entrada de novos mineradores e estruturas mineração, algo que esperamos que continue em 2024.

Holders continuam "holdando" e parecem mais convictos que nunca

Investidores com uma perspectiva de longo prazo no Bitcoin, frequentemente referidos como "holders", desempenham um papel crucial na estabilização do mercado, especialmente durante períodos de volatilidade.

Esses alocadores, caracterizados por reter suas posições mesmo nos momentos mais desafiadores do mercado, agem sob a influência de uma convicção profunda no potencial combinado da tecnologia blockchain e da natureza escassa do Bitcoin.

Sua estratégia de investimento é menos influenciada por flutuações de curto prazo e mais orientada pela crença no valor intrínseco e de longo prazo do ativo.

Atualmente, constata-se que mais de 75% da oferta circulante do Bitcoin permaneceu estática por pelo menos um ano. Esta estatística evidencia uma tendência crescente de investidores buscando preservar suas moedas para o futuro, refletindo um compromisso com o horizonte de longo prazo. No entanto, essa mesma dinâmica sugere que uma proporção significativa dessas moedas pode estar perdida de forma irrecuperável.

Embora não exista um método definitivo para identificar bitcoins "perdidos", é razoável considerar que as reservas que não foram movimentadas por uma década ou mais têm alta probabilidade de nunca mais serem transacionadas. Atualmente, estima-se que cerca de 3.07 milhões de bitcoins estejam nessa categoria, contribuindo para uma maior escassez na rede.

Observa-se que o comportamento dos holders de longo prazo muitas vezes contraria as tendências de precificação do mercado. Esta relação inversa é frequentemente impulsionada pela natureza humana, que oscila entre o desejo de maximizar retornos (suscetível a condições psicológicas como FOMO - medo de perder oportunidades - e FUD - medo, incerteza e dúvida).

A análise da distribuição percentual da oferta entre holders de curto e longo prazo revela essa dinâmica cíclica. Moedas mantidas por menos de 155 dias são consideradas de curto prazo, enquanto aquelas retidas por mais tempo são classificadas como de longo prazo.

Atualmente, os holders de longo prazo detêm aproximadamente 14.8 milhões de bitcoins, em contraste com os 2.3 milhões de bitcoins nas mãos de investidores de curto prazo. Essa discrepância é a maior já registrada na história do Bitcoin e reflete um nível sem precedentes de compreensão e confiança no potencial futuro desta criptomoeda.

Essa distribuição de propriedade ressalta a crescente percepção do valor a longo prazo do Bitcoin, consolidando sua posição como um ativo digital de destaque no cenário financeiro global.

Mercado de Derivativos

O mercado de derivativos tem desempenhado um papel fundamental na influência do preço do Bitcoin, especialmente através do seu impacto no volume de negociações.

Em 2023, os instrumentos de contratos futuros de Bitcoin experimentaram um crescimento expressivo, notadamente no segmento institucional. Esta tendência reflete um aumento significativo na participação de traders sofisticados e instituições financeiras no ecossistema do Bitcoin.

Um indicador chave desse fenômeno é o interesse aberto em contratos futuros na Chicago Mercantile Exchange (CME), que alcançou um pico histórico de US$ 5.36 bilhões. Este marco é um sinal claro do crescente interesse e envolvimento de participantes sofisticados no mercado de Bitcoin.

Além disso, a CME emergiu como o principal mercado para instrumentos derivativos de Bitcoin, superando a Binance, que anteriormente detinha a liderança neste segmento.

Paralelamente, o mercado de contratos de opções também testemunhou um aumento substancial, registrando seu maior valor em dezembro de 2023, com mais de US$2.25 bilhões em contratos abertos.

Este crescimento nos contratos de opções reflete uma diversificação no uso de instrumentos derivativos no mercado de Bitcoin, proporcionando aos investidores mais opções para hedging, especulação e gestão de riscos.

No entanto, é importante notar que, apesar deste aumento na utilização de contratos futuros, o mercado não se encontra em um estado de alta alavancagem, como foi observado em 2021. Ao analisar o interesse aberto em relação à capitalização de mercado do Bitcoin, constata-se que ainda existe uma margem considerável para a entrada de capital alavancado.

Este cenário sugere que, embora haja um aumento na atividade de derivativos, o mercado ainda possui espaço para crescimento e maturidade, sem os riscos excessivos associados a altos níveis de alavancagem.

O volume institucional e a espera dos ETFs

O ano de 2023 testemunhou um aumento notável na utilização de instrumentos derivativos no mercado de Bitcoin, acompanhado por um influxo significativo de capital institucional.

Um dos indicadores mais evidentes dessa tendência foi o investimento de aproximadamente US$1.6 bilhão em Bitcoin através de fundos de investimento, um claro sinal do crescente interesse das instituições neste ativo digital.

Atualmente, existem cerca de 884 mil bitcoins mantidos em veículos de investimento tradicionais. Olhando para o futuro, espera-se que este número aumente consideravelmente, com projeções indicando a adição de pelo menos mais 1 milhão de BTCs em 2024.

Esta previsão está fundamentada na expectativa da introdução de ETFs (Exchange-Traded Funds) de Bitcoin à vista, uma evolução que pode desencadear uma nova onda de alocação institucional no ativo. A aprovação dos ETFs à vista de Bitcoin está sendo esperada que ocorra ainda em janeiro de 2024.

Além disso, a análise do volume de transações de entrada nas exchanges revela um retorno da atividade institucional, que permaneceu relativamente inativa desde 2021.

Em dezembro de 2023, o volume médio de uma transação de entrada nas exchanges foi de cerca de US$34 mil, um valor comparável apenas ao observado nos picos do último bull market. Esta métrica sugere que as instituições estão novamente ativas no mercado de Bitcoin, potencialmente em busca de oportunidades de investimento de longo prazo ou de estratégias de diversificação de portfólio.

Esses desenvolvimentos refletem uma mudança significativa na dinâmica do mercado de Bitcoin, com uma influência crescente de participantes institucionais.

Ciclo monetário global se alinhou com o ciclo on-chain

Durante o ano de 2023, tornou-se cada vez mais evidente que estávamos vivenciando um período de recuperação no mercado de Bitcoin. Essa percepção não se baseou apenas na resistência do preço em estabelecer novas mínimas, mas também no alinhamento de diversos indicadores que sugeriam um potencial fundo de mercado.

Entre os indicadores on-chain monitorados em 2022, um que se destacou particularmente foi o "IRO" (Indicador de Recuperação On-chain).

Essa ferramenta, disponível exclusivamente para os assinantes do BlockTrends Research, provou ser extremamente eficaz na identificação do ponto de exaustão máxima do bear market, sinalizando o momento ideal para posicionamento estratégico no mercado.

Da mesma forma, outro indicador exclusivo, o modelo SDM (Sigla para Standard Deviations Multiple), que é tecnicamente um indicador baseado no preço do Bitcoin, corroborou a indicação de que o bear market havia encontrado seu fim em novembro de 2022.

Embora esses indicadores utilizem abordagens distintas, ambos convergiram para a mesma conclusão fundamental: estamos observando os ciclos de expansão e contração monetária que moldam o mercado.

No BlockTrends Research, enfatizamos a importância de monitorar os ciclos de liquidez global, pois acreditamos que essa análise pode oferecer confluências valiosas com indicadores técnicos e on-chain.

Essa foi a perspectiva que emergiu no final de 2022, quando observamos um influxo significativo de capital na base monetária global, sugerindo que uma injeção de liquidez estava prestes a impactar diretamente a precificação do Bitcoin.

Atualmente, todos os indicadores apontam para a existência de um bull market. Embora ainda não tenhamos alcançado a fase mais eufórica do ciclo, os sinais são claros de que estamos em um período de crescimento e otimismo no mercado de Bitcoin.

Essa análise integrada de indicadores técnicos, on-chain e macroeconômicos fornece um panorama robusto para acreditarmos que ainda temos bastante espaço de subida até atingirmos um ponto de exaustão final no ciclo.

Stablecoins continuam crescendo como instrumento de intermediação e dolarização

Um tema relevante no universo das criptomoedas, que merece atenção especial por sua influência direta no mercado, é o desempenho das stablecoins.

Estes tokens, caracterizados por seu lastro em moedas fiduciárias, têm ganhado crescente popularidade. Eles desempenham um papel fundamental não apenas como um meio de transição para o mercado de criptomoedas, mas também na dolarização e nas transações internacionais, atuando como uma ponte entre os mundos financeiros digital e tradicional.

Ao longo de 2023, observou-se uma alteração significativa na dinâmica de dominância entre as principais stablecoins. Um exemplo notável foi a diminuição da presença da BUSD no mercado.

Em contrapartida, a USDT, emitida pela Tether, experimentou um crescimento substancial ao longo do ano, reafirmando sua posição como a stablecoin mais dominante da classe. Este crescimento foi corroborado pelo atingimento de um volume recorde em sua oferta circulante, sinalizando um influxo aumentado de capital externo para o ecossistema de criptomoedas.

Atualmente, a Tether detém uma dominância de 73% entre as cinco principais stablecoins do mercado, com um montante impressionante de mais de US$90.9 bilhões em circulação. Esta liderança no segmento das stablecoins evidencia a confiança depositada pelos usuários na USDT e sua importância crescente como um veículo de liquidez e estabilidade no mercado de criptomoedas.

Espera-se que o mercado de stablecoins continue sua expansão nos próximos anos, impulsionado principalmente pelo aumento do interesse e da participação de investidores institucionais.

Este crescimento reflete a crescente aceitação e integração das stablecoins como um componente vital na infraestrutura financeira digital, oferecendo maior segurança, eficiência e acessibilidade nas transações globais.

Dinâmica de mercado e Expectativas para 2024

É fundamental sublinhar que, apesar de toda a análise e entendimento do mercado, prever o futuro, especialmente em um setor tão dinâmico e em constante evolução como o das criptomoedas, é uma tarefa repleta de incertezas.

O mercado de criptomoedas é notoriamente volátil e sujeito a mudanças rápidas e imprevisíveis. No entanto, baseando-se nas tendências atuais e em análises cuidadosas, é possível traçar algumas expectativas para o ano de 2024, especialmente em termos de preço e dinâmicas de mercado.

Para 2024, as previsões e expectativas são as seguintes:

A atividade on-chain deve continuar a aumentar ao longo do ano, com métricas relacionadas à movimentação de endereços atingindo novas máximas históricas.
O volume de transações na rede Bitcoin é esperado para ultrapassar a marca dos US$12 trilhões.
A popularidade e o uso do protocolo Ordinals devem continuar crescendo, impulsionando a demanda na rede Bitcoin.
A receita total de mineração deve atingir novos recordes, com mineradores aumentando seus lucros, mesmo considerando o impacto do halving.
Poder computacional deve continuar subindo, mesmo com halving, assim como deverá ter novas entradas de mineradores.
É provável que os holders de longo prazo comecem a distribuir suas moedas em algum momento de 2024, mas a oferta adicional será absorvida por novos participantes no mercado.
O volume em instrumentos derivativos deve continuar aumentando, estabelecendo novos recordes e adicionando volatilidade ao mercado.
As reservas de Bitcoin em fundos de investimento devem continuar sua trajetória ascendente e possivelmente dobrar em 2024.
ETFs de Bitcoin devem ser aprovados ainda no primeiro trimestre do ano.
A oferta monetária global deve continuar a crescer em 2024, trazendo mais liquidez para os mercados financeiros.
Existe uma alta probabilidade de que o Bitcoin ultrapasse o valor de US$133 mil ainda em 2024; caso isso não ocorra, a expectativa é que aconteça já em 2025.

É essencial entender que estas projeções não devem ser consideradas de forma isolada. A natureza volátil do Bitcoin pode surpreender até mesmo os mais experientes no mercado.

O Bitcoin representa não apenas um ativo financeiro, mas um projeto de vida, sendo considerado o melhor dinheiro já criado pela humanidade e o mercado mais livre já estabelecido.

Este cenário reforça a importância de uma abordagem equilibrada e informada ao investir e participar deste mercado revolucionário.

#HODL


As previsões ou afirmações feitas neste relatório não fazem quaisquer garantias, representações ou endossos expressos, ou implícitos de decisões de investimentos tomadas pelo leitor. Eventos passados não são garantias de acontecimentos futuros e o leitor deve ser o único responsável pelas suas próprias decisões de investimentos. O BlockTrends não poderá se responsabilizar por quaisquer perdas ou prejuízos decorrentes das decisões de investimento tomada com base na informação apresentada no BlockTrends Research. Todo o material apresentado é de cunho educativo e informativo e não representam recomendações expressas de compra, venda ou qualquer negociação em bitcoin, ou outro criptoativo. Ao utilizar este relatório o leitor reconhece as isenções de responsabilidade citadas acima.

Veja os comentários

Assine o BlockTrends | Research para poder visualizar e comentar.

Inscreva-se já